Guia de cidades Canadá: Vivendo em Montreal | Neway for you

Guia de cidades Canadá: Vivendo em Montreal

517 views

Como é morar em Montreal? Como é o custo de vida? Como funciona o lazer, transporte e escola? O que há de diferente entre Montreal e outras cidades? Bom, para responder a essas perguntas criei um mini guia com tópicos que acho importante destacar. Se eu tenho propriedade para falar dessa cidade? Acho que sim, estou aqui há quase 3 anos e já estou em meu segundo endereço, indo para o terceiro, provavelmente, no final deste ano. Como sou do tipo nômade e gosto de explorar bem os lugares onde moro, fica fácil falar sobre o assunto. Também estou trazendo uma visão de quem já foi estudante na cidade, incluindo viver com filhos no inicio da adolescência, desse jeito, acho que vou conseguir agradar a solteiros, casados e indecisos, ou pelo menos espero.
Atualizado em: 28 de maio de 2021
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Como é morar em Montreal?

Ainda não se decidiu sobre onde morar no Canadá? Me lembro bem dessa dúvida, ainda em 2017, quando eu e minha esposa começamos a pensar nas terras geladas do norte como destino para nossas vidas. Se você está vivendo esse momento agora, talvez este texto possa lhe dar alguns bons insights sobre escolha. Posso dizer que essa não é das etapas mais fáceis no processo de imigrar, pois, inevitavelmente, quando o assunto é Canadá, o trio Montreal, Toronto e Vancouver é quase que lugar comum por aqui.

É claro que há muitas outras opções no Canadá, mas porque dar tanto destaque para essas três cidades? Porque estamos falando de imigração, então, seja você estudante ou trabalhador, para que esse processo tenha maiores chances de sucesso é importante considerar os três grandes pilares de um bom projeto de imigração para o Canadá (infraestrutura educacional, oferta de empregos e qualidade de vida).

Onde fica Montreal?

Montreal está localizada no sudoeste da província de Quebec, a apenas 70 km da fronteira com os Estados Unidos (aproximadamente 5 horas de carro até a cidade de Nova York). A cidade em si está situada na Ilha de Montreal, na confluência dos rios Saint Lawrence e Ottawa.

Apesar de estar numa latitude muito parecida com a de cidades como Paris e Madri, seu clima é fortemente influenciado pelas correntes marítimas vindas do polo norte. Razão pela qual cidades situadas na província do Quebec e províncias do Atlântico serem tão frias.

Sobre Montreal

Montreal é a segunda maior cidade do Canadá (em número de habitantes – 4.2 milhões) e a segunda maior cidade de língua francesa no mundo ocidental, depois de Paris. O idioma é a diferença mais notável entre esta cidade e província e o resto do Canadá, mas falarei um pouco mais sobre isso posteriormente.

A reputação da cidade com vida noturna animada e hedonismo começou durante o período da Leia Seca nos EUA (1920-1933), quando os foliões americanos cruzavam as fronteiras canadenses em busca de diversão, burlando a proibição do consumo de álcool. Bares e cabarés ao estilo parisiense faziam tanto sucesso naquela épica que Montreal chegou a ser conhecida como a cidade do pecado. Quase cem anos depois Montreal continua sendo uma das cidades mais cosmopolitas e agitadas do Canadá, pelo menos até a chegada do COVID-19.

A cidade também tem um toque mais europeu do que as cidades norte-americanas padrão, mas, ao mesmo tempo, possui muitas das características de um grande centro urbano. Aqui você vai encontrar de bairros que ficaram praticamente congelados no passado ao mesmo tempo em que vai ver modernos arranha-céus no centro comercial da cidade. Além disso, viver em Montreal é geralmente mais acessível do que em outras grandes cidades canadenses devido ao baixo custo e vida.

LEIA TAMBÉM: Custo de vida no Canadá: Seu guia

vista no Mont Royal
Montreal leva o nome de uma colina de três picos – Fonte: Site Mount Royal

Custo de vida em Montreal

O maior bônus financeiro para quem mora em Montreal são os preços dos imóveis e aluguel, que costumam ser mais acessíveis do que muitas outras cidades canadenses. Um quarto decente em um apartamento compartilhado em um bairro seguro de Montreal pode ser alugado entre $ 400 – 600 CAD por mês, com alguns apartamentos de um quarto a partir de $ 600 – 800 CAD. Esses são valores básicos e, dependendo do gosto e das expectativas, você pode esperar pagar mais.

Eu mesmo pagava algo como $ 1.000 por um bom apartamento de dois quartos com dois banheiros no subúrbio de Montréal logo que cheguei em 2018 (Cidade de Laval). Destacando que este já era um imóvel semi-mobiliado (geladeira, fogão e máquina de lavar louça), algo bem comum e prático para quem é recém-chegado, uma vez que comprar esses três itens logo quando chega vai consumir alguns dólares em seu orçamento que merecem outras prioridades.

Os utilitários domésticos têm preços bastante razoáveis ​e se você for do tipo econômico como eu, vai amar lojas como a Dollarama. Acredite, é possível equipar uma casa com itens básicos que vão de $ 1 a $4 CAD sem ter de vender um rim ao chegar.

Supermercado e comer fora, no entanto, estão no nível da média nacional, então você vai sentir esse impacto ao chegar até que esteja empregado e deixe de fazer as famigeradas conversões real para dólar.

Para saber mais sobre este tópico eu recomendo este post aqui: Custo de vida no Canadá: Seu guia

No geral, o custo de vida em Montreal é acessível, mas a contra partida desse custo menor também é compensada por salários ligeiramente mais baixos (salário mínimo hora $ 12,50) e impostos mais altos (16%) do que a média nacional (11%). Esse imposto seria um tributo equivalente ao nosso ICMS no Brasil.

Recentemente o salário mínimo em Montreal teve um reajuste passando para $ 13,50/h, com essa discreta mudança, ele ficou um pouco acima da média nacional de $13,40.

Somente a título de referência, o salário mínimo em Vancouver é de $ 16/h (o mais alto do Canadá), mas acompanhado dele, vem o título de cidade campeã quando assunto é valor alto de imóveis e aluguel. Muito disso influenciado pela especulação imobiliária causada por asiáticos de alta renda que vem se instalando na cidade há anos. Para os não sabem, Vancouver abriga a maior concentração de povos asiáticos no Canadá e considerada a segunda cidade com habitação mais cara do mundo, atrás apenas de Hong Kong.

Montreal com crianças

Montreal é um dos melhores lugares do Canadá, senão do mundo, para criar filhos. Cerca de meio milhão de crianças têm a sorte de chamar Montreal de lar, com muitos pais se mudando para a cidade em parte porque a vida familiar em Montreal permite algumas conveniências sociais e acessibilidade.

Sei de muitas pessoas que irão discordar dessa afirmação, mas posso falar com um certo conforto depois de passar alguns dias na casa de amigos em cidades vizinhas de outras províncias. Aqui ainda é possível conciliar a criação de filhos com um ambiente urbano relativamente seguro. Estive em Toronto por alguns dias e não achei uma cidade das mais seguras para deixar seus filhos irem e virem a qualquer hora do dia sem esquentar a cabeça, mesmo em alguns subúrbios próximos.

escola montreal
Grupo de crianças indo para escola sozinhas em Montreal – Fonte Anônima

No bairro onde moro, não difícil ver crianças com menos 7 anos andando sozinhas para escola ou mesmo pegando ônibus, e isso com uma temperatura externa de -20° C. Confesso que é muito para minha cabeça de pai brasileiro neurótico, mas para muitos pais aqui não é nada de mais.

Considere as seguintes vantagens de morar em Montreal com filhos:

  • As crianças em Montreal têm grande probabilidade de crescer aprendendo e falando duas línguas (francês e inglês), se não mais.
  • A província de Quebec oferece um programa de creche pública subsidiado, custando pouco mais de $ 8,00 CAD por dia. Não só as crianças ficam felizes e seguras, mas também os pais e responsáveis ​​têm mais facilidade para entrar no mercado de trabalho ou continuar seus estudos. Creches subsidiadas contribuem significativamente para redução do custo vida nos primeiros 5 anos de seus filhos.
  • Os bairros de Montreal são repletos de parques públicos e playgrounds e a mudança das estações do ano em Montreal significa que há sempre um bom motivo para estar ao ar livre.
  • As taxas escolares com universitárias em Quebec são as mais baixas do Canadá.
  • Montreal é seguro, a taxa de criminalidade está entre as mais baixas do Canadá.
  • O custo de vida em Montreal é muito mais baixo do que em outras cidades canadenses, deixando o sonho da casa própria bem mais ao seu alcance.

Sei que muitos leitores aqui podem preferir um lugar mais sossegado e longe dos grandes centros para criar seus filhos, se este for o seu caso, cidades vizinhas como Laval, Longueuil, Brossard e Boucherville são opções bastane viáveis e não tão distantes. Considere apenas ter um carro para morar nelas, pois ele fará toda a diferença, acredite. Vou falar sobre isso no final do post.

Um das grandes vantagens dessas cidades está no valor dos imóveis e aluguel, sendo possível morar em uma casa maior e mais confortável pelo custo de um apartamento de 2 ou 3 quartos em Montreal. Só não espere muito muitas conveniências como transporte público acessível (e frequente), além de serviços onde você pode ir a pé como supermercado, farmácia entre outros, principalmente no inverno.

Como cheguei aqui com duas adolescentes, preferi sai do subúrbio (Laval) logo depois de um ano e vir morar em Montreal. Essa já é uma estratégia para o College e Universidade, reduzindo meu custo de não ter de arcar com despesas extras de dormitórios próximos ao campus ou transporte para elas. Mas isso vai de cada um. Prefiro que elas tenham de se adaptar a vida nos grandes centros, já preparando-as para um mercado de trabalho mais dinâmico e dentro da realidade global.

Em Montreal é bem mais fácil exercitar o bilinguismo, a prova é que elas já dominam as duas línguas em pouco mais de 1 ano que vivemos vivendo na cidade, mesmo em uma escola francofônica.

Minha dica é, comece a se preocupar com bairros próximos a boas escolas a partir dos 5 anos, sempre de olho nas escolas públicas internacionais. Eu cheguei com minhas filhas numa idade que não já não dava mais para aplicar, mas recomendo fortemente esse planejamento para seus filhos. Laval, inclusive, tem uma das melhores no Ranking de Escolas do Canadá.

Quer estudar no Canada?

Inscreva-se agora e receba nosso guia completo para estudantes internacionais. Da escolha da escola até a residência permanente, tudo o que você precisa saber.

Clima em Montreal

Montreal tem quatro estações distintas, sendo o inverno bastante diferente daquele a que a maioria dos imigrantes estaria acostumada em seu país natal, principalmente se estivemos falando do Brasil. Mas acredite, eu que vim de Recife, cidade onde a média anual fica entre 25° e 32° C, vivo de boa por aqui. Alias, tenho amigos que vieram do sul do país e todos eles são unânimes numa coisa, é mais fácil passar frio no inverno deles do que aqui, pois o Canadá é muito preparado para essa estação.

Como disse no início do texto, o frio vem das correntes polares, então esteja ciente que vai vivenciar temperaturas realmente baixa, algo como -20° de sensação térmica em dias lindamente ensolarados em que você não vai ver uma nuvem sequer no céu. Aliás, esse é um dos fatores de peso que fazem de Montreal uma cidade mais feliz durante os longos invernos. Diferentemente de países onde o inverno é cinza na maior parte do tempo, aqui, o sol faz toda a diferença no bem estar mental das pessoas. São invernos frios, mas com um sol brilhando no céu.

A cobertura de neve pode ser esperada do início de dezembro (as vezes em novembro) até o final de março (as vezes até abril), embora seja mutável ano a ano. Janeiro e fevereiro são extremamente frios, com temperaturas frequentemente atingindo -25 ° C ou menos. Você vai precisar de um bom par de botas resistentes e meias térmicas, um bom casaco de inverno, cachecol e luvas se quiser caminhas algumas horas na rua.

Nos dias de nevasca é muita neve na canela, algo como 30 a 40cm. Esse vídeo logo abaixo eu gravei na primeira semana de aula de minhas filhas enquanto elas estavam voltando da escola. Era janeiro e como dito, neve e frio tem de sobra. Entre dezembro e janeiro os dias ficam mais curtos, então a partir das 16h já começa a escurecer. Se você é do tipo que fica aterrorizado com esse tanto de neve, repense vir para o Montreal, a vida aqui é assim por pelo menos 3 a 4 meses. Eu particularmente acho legal nos dois primeiros meses, depois começa a encher o saco de neve.

A primavera tende a ser curta, meio misturada ainda com um final de inverno, com um maio quente levando a verões bem quentes e úmidos entre junho e julho, onde você pode esperar temperaturas diárias bem acima de 25° C e às vezes acima de 35° C. O outono explode em cores, com folhas laranja e marrons cobrindo o Monte Royal e os grandes parques espalhados pela ilha.

Bom gente, Montreal é assim, você vai viver um mundo de cores da primavera até o outono e vai passar uns bons 4 a 5 meses de neve, gelo e árvores hibernando sem folhas, mas é foi isso ai que mais me chamou a atenção, é como se a vida da gente tivesse quatro momentos diferentes todos os anos. Para quem vem do Brasil isso é algo que realmente muda o jeito de ver a natureza.

Um jeito ótimo de conhecer a cidade é o seguir o perfil no Instagram Guia Montreal assinado por minha colega de trabalho Leila Diniz, ela é mestre em descobri o que fazer em Montreal.

Peculiaridades que você vai notar em Montreal

Palavrões: embora os palavrões franceses padrão, como merde, sejam usados, palavrões mais fortes são aqueles emprestados do catolicismo e de sua liturgia. Quando um montrealense dá uma topada no dedo do pé ou quer advertir alguém, provavelmente gritará tabarnak! Isso vem do tabernáculo da igreja. Outras profanações escolhidas incluem sacramento (“sacramento”), ostie (“anfitrião”, como no pão da comunhão) e maudit (“droga”). Mudar e misturar palavrões é uma espécie de arte verbal e um rápido “ostie de tabarnak de calisse!” significa uma pessoa muito zangada e não um sacerdote falando em línguas. Depois algum tempo morando por aqui, você vai dar uma boas risadas quando começar a dominar um pouco mais o francês québécoises.

Monte Real (Mont Royal): Montanha ? mais isso não passa de uma colina com 233m de altitude! Só não diga isso para os moradores locais, eles tem o maior orgulho dela. Os três picos do Monte Royal são conspícuos de quase qualquer lugar em Montreal, e poucas cidades no mundo têm uma amenidade natural tão maravilhosa bem no coração da cidade. O inverno significa esqui cross-country, tobogã e lutas de bolas de neve, com as outras três temporadas proporcionando um parque exuberante, um lago artificial e caminhos onde corredores e ciclistas competem com os pedestres por espaço. Há um chalé com um mirante com vista para o centro e lugares para um bom piquenique não faltam.

A “Cidade Subterrânea”: oficialmente conhecida como RÉSO e às vezes chamada de la ville souterraine, esta série de passagens interconectadas oferece refúgio de climas extremos durante o inverno, além de ser frequentemente refúgio agradável de tardes de verão particularmente quentes. Com mais de 120 pontos de acesso externos e cerca de 32 quilômetros de túneis, ele conecta estações de metrô, estações de transporte, shoppings, escritórios, apartamentos, bancos, universidades, a principal estação rodoviária e a arena Bell Centre, sede do time de hóquei Montreal Canadiens equipe, que compete na NHL.

Ciclismo: Montreal faz parte do ranking das 5 cidades mais amigáveis ​​para o ciclismo no mundo, com mais 500km de ciclovias urbanas e centenas de quilômetros de trilhas não tem desculpa para não usar a magrela. O sistema BIXI é classificado entre os melhores sistemas de bicicletas públicas do mundo, com mais de 600 estações espalhadas pela cidade é possível estudar, trabalhar e ir para balada tranquilamente. Desde o ano passado, o sistema também inclui bicicletas elétricas em sua frota. Poder andar de bike com todas essas facilidades foi uma das razões especiais para eu gostar tanto dessa cidade. Seja um passeio rápido, uma trilha ou mesmo um treino mais forte, a cidade é um verdadeiro paraíso para ciclistas. Some a tudo isso a o fator segurança e Voalá, temos a combinação perfeita.

Política e identidade: Muitos quebequenses têm uma veia ferozmente nacionalista. O sonho é um dia romper com o Canadá e formar seu próprio país, feito que quase conseguiram em um referendo de 1995. Por outro lado, muitos residentes de Montreal são canadenses orgulhosos, muitos dos quais vivem com medo de um estado independente de Quebec. No meio estão aqueles cuja identidade primária não é nem Quebequense e nem Canadense, mas Montrealer. Antes de iniciar um debate, certifique-se de saber do que você está falando. É praticamente impossível evitar a política morando em Montreal.

Gastronomia em Montreal

Em qualquer lista das melhores cidades para restaurantes da América do Norte, Montreal geralmente está entre as três ou quatro primeiras. Alguns até o consideram a melhor, e seu único rival real no Canadá é Vancouver. Diz-se que Montreal tem mais restaurantes per capita do que qualquer outra cidade do continente. Eu particularmente acho que é por ai mesmo. Como um frequentador de bares e restaurante que sou, posso dizer que é uma tarefa quase que impossível dizer que conhece todos os bares dessa cidade.

Quase todos os países são representados na culinária de Montreal. Você encontrará vários restaurantes do tipo que são populares em qualquer cidade ocidental – restaurantes italianos, asiáticos, de estilo americano e claro, o famoso Poutine, um verdadeiro patrimônio da culinária local.

Mas o que é poutine? Os três ingredientes básicos são batatas fritas bem passadas, coalhada de queijo e molho de carne marrom. Como outras iguarias locais em todo o mundo – considere pizza ou ensopado – o poutine foi estabelecida usando uma mistura de sobras de alimentos aparentemente pouco apetitosos e jogando-os juntos, com consequências surpreendentemente deliciosas.

Poutine
Poutine tradicional em Montreal – Fonte: Foto anônima.

Vou logo avisando que o parágrafo acima não é de minha autoria, mas irei fazer minhas considerações sobre o prato. É gostoso? sim, se você é do tipo que gosta de junk food como eu. Alguns críticos costumam dizer ele é o típico prato canadense heart attack, do tipo que seu colesterol sobe só de olhar para ele. Até o McDonalds daqui tem ele como opção no cardápio. Mas pra falar a verdade, temos algo parecido no Brasil. Seria algo como um filé com fritas, só que no lugar do filé, vai um queijo coalho. O molho é praticamente o nosso molho madeira.

Há também as variações com outros ingredientes, como carne de vaca, porco, frango, frutos do mar ou vegetais, que costumam ser adicionados aos ingredientes básicos. Uma variação chamada poutine italienne substitui o molho à bolonhesa. O La Banquise 24 horas na Rachel Street no Plateau serve mais de 28 variações dele.

A grande comunidade judaica deixou sua marca na culinária local, sendo a carne defumada (viande fumée) uma das favoritas. O Schwartz’s em St-Laurent é o centro do mundo da carne defumada, ou pelo menos é o que parece a partir da fila aparentemente permanente de pessoas ao redor do quarteirão esperando para entrar.

rue St Denis
Rue St Denis Le Plateau Mont-Royal – Fonte: Banco de imagens.

Uma coisa legal por aqui é que muitos restaurantes permitem que você traga seu próprio vinho e cerveja, e geralmente há uma loja de bebidas SAQ ou dépanneur (loja da esquina) nas proximidades. Procure sinais de “apportez votre vin” nas janelas. A qualidade do vinho nas lojas SAQ é muito melhor do que nos dépanneurs. A maior concentração de restaurantes “apportez votre vin” está no Plateau.

Vida noturna em Montreal

Montreal é mundialmente famosa por sua vida noturna, e com razão. Seja qual for o seu orçamento ou gosto musical, Montreal oferece uma gama aparentemente infinita de opções, de pequenos bares a casas noturnas sofisticadas.

É realmente a capital do entretenimento do Canadá. As vendas de álcool no varejo param às 23h e os bares podem servir até as 3 da manhã. A idade legal para beber em Quebec é 18 anos, enquanto todo o resto Canadá começa aos 19.

Já visitei algumas províncias fora de Quebec e pude ver grandes diferenças quanto aos hábitos noturnos, e posso dizer que há poucas cidades no Canadá que continuam ativas depois das 22h. Para mim é como se eu não tivesse saído de minha cidade natal, com a diferença de que eu voltar para de madrugada em a paranóia de ser assaltado ou coisa pior, mesmo fazendo isso de transporte público ou bicicleta.

Existem três faixas principais onde o agite acontece em Montreal:

Crescent St no lado oeste do centro da cidade atende principalmente a anglofones e turistas, embora a adjacente Bishop St tenha mais clientela local.

Boulevard St-Laurent na extremidade do Plateau – particularmente o trecho da Sherbrooke Street à Avenue des Pins, onde você encontrará bares e clubes elegantes com uma clientela mais francófona – fica extremamente ocupado quando os alunos de Concordia e McGill voltam para uma nova sessão. Essa é uma das minhas preferidas.

E o Quartier Latin em St-Denis que ganha vida durante o verão, quando grandes pátios ao ar livre (terraços ) alinham o trecho entre de Maisonneuve e Sherbrooke. Difícil resistir.

Não posso esquecer também da galera LGBT, que se concentra em alguns trechos da St Catherine como a famosa Gay Village. Pra mim, um dos pontos mais legais de Montreal para se passear se você curti o alternativo.

Mais cenas locais podem ser encontradas em Village em torno da estação de metrô Beaudry, na Mont-Royal Avenue no Plateau, na Monkland Avenue em NDG e em Hochelaga-Maisonneuve.

Resumindo, Montreal é um prato cheio para quem curte uma boa noitada com amigos em pubs, boates ou nas dezenas de cervejarias artesanais espalhadas pela cidade. Uma pena isso tudo estar fechado desde de o ano passado devido ao COVID-19, mas tenhamos fé! tudo isso vai passar em breve.

Quer estudar no Canada?

Inscreva-se agora e receba nosso guia completo para estudantes internacionais. Da escolha da escola até a residência permanente, tudo o que você precisa saber.

Festivais em Montreal

Cada mês do ano contém algum tipo de festival em Montreal. As coisas realmente acontecem quando o sol nasce no verão e a área ao redor da Place des Arts oferece shows gratuitos durante toda a tarde e noite.

O maior festival de jazz do mundo ocorre do final de junho a julho, com alguns dos shows mais renomados do planeta entretendo moradores e turistas. E esse foi um capítulo a parte para mim, pois quando visitamos Montreal pela primeira vez, em 2017, foi durante o Festival Internacional de Jazz de Montreal, uma grata supresa, pois nem havíamos programado nada, era apenas uma viagem exploratória para saber em que cidade iriamos nos estabelecer.

De todas as cidades que visitamos, Montreal ganhou 12 dias de nossa atenção, e a essa altura você já deve ter entendido porque escolhemos ela como nossa nova casa.

A foto logo abaixo foi tirada de um dos muitos festivais de cerveja que eles realizam por aqui. Tem para todos os gostos e bolsos.

Montreal também abriga o maior festival de comédia do mundo, Just for Laughs (Juste pour rire), que ocorre logo após o festival de jazz. O festival de música Osheaga é um jamboree de verão de fim de semana na Île Sainte-Hélène, com vários palcos recebendo alguns dos artistas mais conhecidos do mundo. Esse eu só passai na porta, mas se tivesse meus 20 anos de volta, acho que acampava por lá uns 3 dias.

E se você pensa que as coisas só acontecem do verão se engana, há uma série de outros acontecimentos rolando durante as outras três estações do ano. Se começar aqui não termino mais esse post. Minha recomendação para quem curti carros e velocidade é o Grand Prix de Gilles Villeneuve, acontece em junho e é um dos momentos em que a cidade respira fórmula 1 e que toda a cidade lota de turistas e carrões circulando na cidade. Bom, como eu disse, melhor para por aqui, pois nem só de festa vive o homem.

Mobilidade urbana em Montreal

Agora vamos falar de utilidade pública e se você quer morar relativamente perto de Montreal e não planeja ter um carro, é provável que use regularmente o sistema de metrô da cidade. O metrô de Montreal foi lançado pela primeira vez a tempo para a Expo 1967. Eu, particularmente usei bastante durante o período em que fui estudante e posso dizer que atende muito bem, há alguns horários de pico, como em qualquer grande cidade, mas economiza muito tempo.

O metrô tem quatro linhas, 68 estações e é o sistema de metrô mais movimentado do Canadá em termos de uso diário. O metrô é operado pela Société de transport de Montréal (STM). A linha verde segue de leste a oeste, assim como a linha laranja em forma de ferradura em sua seção mais movimentada. Ambas as linhas verde e laranja passam pelo centro da cidade. A linha azul vai de leste a oeste até o norte de Mount Royal, e a linha amarela curta serve Longueuil e South Shore.

metro montreal
Estação de Metrô em Montreal – Fonte: Banco de Imagens.

O metrô funciona aproximadamente até às 00h30 durante a semana e às 01h30 nas noites de sexta e sábado.

Os bilhetes STM também são válidos na extensa rede de ônibus que atende os vários bairros de Montreal, então é bem fácil a locomoção quando usa este sistema de integração. Montreal possui algumas cidades vizinhas que são considerados parte da Grande Montreal ou região metropolitana, então é importante planejar bem onde vai morar com base onde vai estudar, pois nem todas as cidades vizinhas possuem um passe de integração único, sendo necessário ter um custo significativamente maior com transporte por mês.

Montreal Metro / STM Tarifas

FaresRegular PriceAge 6-17 and 65+Students 18-25ConditionValidity for 747 Airport bus
1 trip$3.50$2.50Regular priceValid the same day as purchase.No
2 trips$6.50$4.25Regular priceOne single user. Valid the same day as purchase.No
10 trips$29$16.5Regular priceNo
1-day pass$10Regular priceRegular priceUnlimited travel for 24 hours consecutive.Yes
Group fare$17.50Regular priceRegular priceOne adult and up to 10 children aged 6-13, valid for two hoursNo
Unlimited evening$5.50Regular priceRegular priceUnlimited travel between 6 p.m. and 5 a.m. the next morning.No
Unlimited weekend$14Regular priceRegular priceFrom Friday 4 p.m. to Monday 5 a.m.Yes
3-day pass$19.50Regular priceRegular priceConsecutive, until 11.59 p.m. the third day.Yes
Weekly pass$26.76$16Regular priceFrom Monday to Sunday until 11.59 p.m.Yes
Monthly$86.50$52$52From first to last day of the month, plus the first day of the next month.Yes
4-month passN/A$204$204
Airport Mtl-Trudeau$10Regular priceRegular pricePurchase at airport / outside Berri-Uqam station / on board (coins only, exact fare)Yes
Tabela de tarifas para passes de Metrô e Integração. Fonte – STM

Comparado com sistemas semelhantes em outras grandes cidades, o transporte público de Montreal é comparativamente barato. É improvável que seu custo de vida em Montreal seja impactado se você planejar seu deslocamento diário com equilíbrio entre trabalho / vida pessoal como eu sugeri a pouco.

Para os subúrbios há também a opção de trens que são operados pela Agence métropolitane de transport (AMT) e têm preços diferentes dos serviços STM.

Montreal também é uma cidade em constante construção e modernização, então é quase uma religião para a cidade, que todos os anos, principalmente quando o inverso acaba, você veja os mantidos cones laranja espalhados pela cidade, junto as sinalizações malucas que os acompanham.

Cones malucos de Montreal
Cones laranjas e sinalização maluca de Montreal – Fonte: Jornal Global News

O lado bom disso é que as linhas de metrô estão em constante expansão, com previsão de novos trechos para 2023 e um grande projeto de transporte via monorail chamado REM.

Ter carro ou não em Montreal?

Os recém-chegados que escolherem viver em Montreal e que planejam dirigir pela cidade devem estar cientes que o transito aqui é um dos mais loucos que vai encontrar pela frente. Eu já dirige em alguns países e bastante nos EUA, mas confesso que aqui me senti em casa.

Diferentemente do resto do Canadá, onde a paz e serenidade reinam no trânsito (talvez Toronto nem tanto), aqui você vai ter de se acostumar com uma sinalização que demora a fazer sentido. Os quebequenses não são do tipo muito pacientes, então se fizer uma M. no trânsito, vai levar aquela buzinada e xingamento sim. Essa fama de super educadinhos dos canadenses é coisa de cidade pequena.

Outro problema de ter carro em Montreal é o tal do estacionamento. Quanto mais perto do centro comercial Centre Ville Montreal você morar, mais difícil será achar um espaço para estacionar seu carro gratuitamente. E mesmo morando em bairros mais afastados, onde consiga apartamentos com garagem coberta, há sempre um custo adicional pela vaga, mas nada que não possa ser incluído no orçamento depois de uma tempo por aqui.

Eu até pensei em viver sem carro aqui, mas bastou o primeiro inverno pesado para que eu revisse meus conceitos. O carro é um custo que talvez você precise evitar logo ao chegar, mas proporciona uma mobilidade sem igual durante o inverno. Se você não mora na porta de uma estação do metrô ou supermercado, vai sentir rapidinho a falta dele. No meu caso, morando em Laval, ele foi essencial na hora de fazer mercado, ir a um shopping ou cinema e até mesmo dar alguns passeios na cidade com a paisagem branquinha.

transito na neve
Autoroute em Montreal durante o inverno – Fonte: Banco de Imagens.

Para os marinheiros de primeira viagem alerto que dirigir no inverno pode ser sim perigoso, especialmente depois de um grande depósito de neve, portanto, certifique-se de que seu veículo esteja devidamente equipado com os pneus de inverno, obrigatórios de dezembro a março no Quebec e seu sistema de aquecimento em perfeito funcionamento.

Concluindo

Montreal é tudo de bom para mim e para minha família, mas esse sou eu falando, tudo é uma questão de ponto vista e gosto. Acredito que o texto tenha trazido um visão menos glamorosa da cidade, mas essa é forma que ey a exergo. A cidade tem muito a oferecer, basta estar aberto a novas experiências e largar o apego das coisas do Brasil, pois vir pra cá preso a isso é o que mais dificulta essa transição.

Se quiser saber um pouco mais sobre meu processo de imigração recomendo esse post aqui: Como é imigrar para o Canadá depois dos 40 anos

Se gostou do texto, comente, compartilhe ou deixe suas críticas, terei o maior prazer em responde-las. Se faltou algo que eu não falei, por favor, deixe nos comentários, assim posso incluir no texto depois. Nos vemos no próximo post onde ainda irei falar sobre infra-estrutura educacional de Colleges e Universidades e Mercado de Trabalho em Montreal. 🍁😉

Inscreva-se em nossa newsletter para receber atualizações constantes sobre o imigração, estudo e carreira no Canadá.

Conte com a consultoria número um em processos de imigração pela província do Quebec. Fale conosco clicando aqui.

Modelo de Banner Blog Consultoria Educacional

Conheça um pouco mais sobre nossos serviços entrando em contato conosco ou acessando nossas redes sociais Facebook e Instagram, ou venha tomar um café com a gente, caso esteja em Montreal.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhe
Compartilhar no linkedin
Compartilhe
Compartilhar no telegram
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Compartilhe
VEJA TAMBÉM

Inscreva-se em nossa Newsletter

garota morena apontando para cima
BUSCA
Categorias
PRÓXIMOS EVENTOS
Information 1

desculpe-nos :(

Sessão indisponível no momento, tente mais tarde.